Iniciativa visa contribuir para a confiabilidade e transparência do processo eleitoral e ampliar técnicas e ferramentas disponíveis para análise

Com o intuito de contribuir para um processo eleitoral brasileiro cada vez mais seguro e transparente, o Centro de Informática (CIn) da UFPE está participando de uma iniciativa piloto de inspeção do código-fonte das urnas eletrônicas. O projeto foi instituído pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por meio da Portaria nº 107/2022, que possibilitou o acesso ao código-fonte do sistema eletrônico de votação, fora de suas dependências, a entidades fiscalizadoras credenciadas. A parceria com o CIn foi formalizada em abril deste ano, através do Termo de Adesão nº 10/2022. Participam das atividades os professores do CIn André Santos, Breno Miranda e Roberto Barros, doutores em engenharia de software, além dos estudantes da pós-graduação Elvys Soares, Emerson Souza e Davi Freitas.

O foco do trabalho realizado é analisar e, eventualmente, propor melhorias na qualidade do código-fonte dos programas e dos testes. As atividades ocorrem em uma sala com acesso restrito e equipamento sem acesso à internet. Os pesquisadores inspecionam o código nesse ambiente, onde instalam e executam, se necessário, softwares para análise do código. Periodicamente ocorrem reuniões com a equipe da Seção de Voto Informatizado do TSE, para troca de informações e acompanhamento do projeto.

Até o momento, foram propostas melhorias na padronização do código-fonte, além do desenvolvimento de um estudo para geração automática de testes, visando aumentar a cobertura, e análises preliminares da documentação dos testes manuais, do código de testes automatizados e da cobertura dos testes. Posteriormente, a ideia é ampliar o tempo de análise disponível e o número de pesquisadores e especialistas envolvidos, bem como as técnicas e ferramentas disponíveis, contribuindo para o desenvolvimento de soluções ainda inéditas, aplicadas ao contexto do ambiente da urna.

No último dia 20 de junho, em uma reunião conjunta da Comissão de Transparência das Eleições (CTE) e do Observatório de Transparência das Eleições (OTE), o professor André Santos apresentou o andamento das atividades desenvolvidas no CIn. Além de ressaltar a importância dessa iniciativa, sugeriu que fosse ampliada com a participação de outras universidades e centros de pesquisa. “O trabalho de inspeção do código nas nossas instalações proporciona a participação de um número maior de pesquisadores nesse trabalho, dedicados por mais tempo, e o uso de metodologias e técnicas inovadoras para a realização dessas análises”, afirmou o docente.

Comentários desativados