Pesquisadores do Centro de Informática (CIn) da UFPE participam de projeto para desenvolver um dispositivo inteligente de esterilização microbiológica de ambientes utilizando Inteligência Artificial (IA) e radiação ultravioleta. A iniciativa  foi aprovada no Edital Propesqi “Emergencial de Credenciamento e Fomento de Projetos, visando Ações para o Diagnóstico e Prevenção da COVID-19”. Elaborado na UFPE, com parcerias entre o IFPE e o Centro Regional de Energias Nucleares do Nordeste, o grupo de pesquisa do projeto é formado por pesquisadores nas áreas de Ciência da Computação, Física, Química, Engenharia Eletrônica, Engenharia Mecânica e Saúde

A ação partiu da necessidade de desenvolver ações de cautela e diligência que intensifiquem a higienização pessoal, de equipamentos e de ambientes passíveis de contaminação pelo novo coronavírus. A proposta contempla a produção de materiais para o enfrentamento do vírus com a construção de um dispositivo controlado remotamente para esterilização viral de ambientes. Uma vez no local, o aparelho é capaz de verificar suas dimensões e calcular a quantidade de doses de radiação UV necessárias para a esterilização viral do espaço.

Os diferenciais do projeto estão na construção de um dispositivo inteligente remotamente controlável capaz de otimizar automaticamente o tempo de irradiação necessário para desinfectar um determinado ambiente, sem riscos para o operador humano. 

O professor e pesquisador do CIn, Leandro Maciel Almeida, faz parte da equipe do projeto e explica qual a importância do desenvolvimento de um trabalho deste escopo. “Primeiramente, é de suma importância a inclusão do CIn no cenário de desenvolvimento de tecnologias nacionais para o combate da Covi-19, já que os laboratórios do Centro possuem os equipamentos e o grupo de pesquisadores mais capacitados do país no desenvolvimento de soluções de IA. Igualmente, a promoção da colaboração de pesquisadores de áreas distintas é indispensável para a construção de uma solução prática a ser utilizada ao final do projeto, uma vez que a ação integra uma equipe multidisciplinar e multiinstitucional. A elaboração dos dispositivos também faz parte do fomento à soberania nacional e regional com respeito a tecnologias voltadas para a prevenção de doenças”, explica.

Atualmente, o dispositivo encontra-se em fase de testes para verificação da sua eficácia de esterilização em ambientes controlados com a pulverização de bactérias e fungos em superfícies como metal, madeira, tijolo, aço inox, alumínio, vidro e plástico. O próximo passo da ação é a execução de testes em ambientes hospitalares, que irá ocorrer em colaboração com o Hospital das Clínicas (HC) da UFPE. A estimativa de conclusão do projeto é dia 15 de Setembro e prevê a entrega de unidades para pronto uso na Universidade.

Comentários desativados