Pós-Graduação em Ciência da Computação – UFPE
Defesa de Tese de Doutorado Nº 511


Aluno: DANILO MONTEIRO RIBEIRO
Orientador: Prof. Fabio Queda Bueno da Silva
Co-orientador:  Prof. José Jorge Lima Dias Junior (Departamento de Administração/UFPB)
Título: AS RELAÇÕES ENTRE ADAPTABILIDADE INDIVIDUAL, SATISFAÇÃO, BURNOUT E INSTABILIDADE DO PROJETO NA ENGENHARIA DE SOFTWARE
Data: 10/12/2020
Hora/Local: 13h –  Virtual – Interessados em assistir entrar em contato com  o aluno
Banca Examinadora:

Prof. Sergio Castelo Branco Soares  (UFPE / Centro de Informática)
Profa. Renata Maria Cardoso Rodrigues de Souza (UFPE/Centro de Informática)
Prof. Breno Giovanni Adaid Castro  (Instituto de Educação Superior de Brasília.)
Prof. Alberto Cesar Cavalcanti França (UFRPE / Departamento de Computação)
Prof. Marcos Kalinowski  (PUC -RJ / Departamento de Informática)

RESUMO:

Contexto:A Engenharia de Software enfrenta diversos desafios. Parte deles 
surge com as mudanças que são geradas pelas instabilidades que ocorrem no 
ambiente em que a equipe e seus membros estão inseridos. A adaptabilidade 
individual é um traço relativamente estável, que leva os indivíduos a se 
adequarem às mudanças mais facilmente. Em diversas áreas, a adaptabilidade 
está relacionada a diversos constructos, como a satisfação e o burnout. 
Esses constructos são de suma importância para o trabalho na Engenharia de 
Software. Contudo, apesar da relevância desses constructos para a 
Engenharia de Software, não existem estudos que busquem entender seus 
relacionamentos. Aliado a isso, observa-se também a ausência de formas de 
mensurar a percepção da adaptabilidade dos indivíduos, assim como também é 
possível notar a ausência de instrumentos que ajudem a mensurar a percepção 
da instabilidade do projeto.
Objetivo –Portanto, este trabalho tem como objetivo principal investigar as 
relações entre a adaptabilidade individual, a satisfação com o trabalho, a 
instabilidade e o burnout na percepção dos membros de equipes de software. 
Para isso, faz-se necessário realizar alguns objetivos secundários como: 
construir e validar um questionário de instabilidade; traduzir e validar um 
questionário de adaptabilidade individual;  e analisar a existência, a 
positividade ou negatividade e a significância das relações entre a 
adaptabilidade individual, a satisfação com o trabalho, a instabilidade e o 
burnout na Engenharia de Software.
Método –Para chegar nestes objetivos foi seguido o processo de tradução de 
questionários proposto por Dias-Jr. Além disso, foi realizado um survey 
cross-section que teve sua amostragem por conveniência, com 486 
respondentes, onde os participantes foram selecionados por auto-seleção. 
Além de indentificar relações entre as váriaveis, também foram aplicadas 
técnicas de análise fatorial exploratória e confirmatória, assim como 
modelagem de equações estruturais para testar as hipóteses geradas.
Resultados –O principal resultado deste trabalho é a identificação das 
relações entre a adaptabilidade individual e a satisfação, e o burnout. 
Além disso, foram encontradas relações entre a satisfação e o burnout, a 
instabilidade e a satisfação e a instabilidade e o burnout. Ademais, também 
foi traduzido, desenvolvido e validado um conjunto de escalas sobre a 
instabilidade e a adaptabilidades que podem ser utilizadas em outros 
trabalhos na Engenharia de Software. Recomendações para indústria sobre o 
monitoramento desses constructos também foram propostas.
Conclusões –Os resultados  encontrados são importantes, pois tanto o 
mercado quanto a academia acreditam que os indivíduos na Engenharia de 
Software devem ser adaptáveis. No entanto, não se tinha evidência concretas 
do porquê isso seria verdade. De maneira geral, indivíduos que se percebem 
mais adaptáveis tendem a se se perceberem mais satisfeito. Do mesmo modo, 
indivíduos mais adaptáveis tendem a ter menores percepções de burnout. 
Indivíduos que percebem o ambiente mais instável (tarefa e equipe) também 
tendem a se perceberem menos satisfeitos, e com maiores índices de Burnout, 
assim como pessoas que se percebem mais satisfeitas, tendem a se perceberem 
com menor índice de burnout. Esses resultados e as escalas promovem uma 
série de novas possibilidades de investigações para Engenharia de Software.

Palavras-chave: Adaptabilidade Individual. Burnout. Satisfação com o 
Trabalho.

Comentários desativados