A aluna do mestrado do Centro de Informática (CIn) da UFPE Flávia Roberta Barbosa de Araújo, sob a orientação da professora Kátia Guimarães, desenvolveu um projeto de pesquisa sobre biotecnologia. Intitulado “Análise de abordagens computacionais na interação SNP-SNP e aumento do risco a doenças”, o estudo consiste em encontrar como as interações que ocorrem entre pequenas mudanças no gene, chamadas de polimorfismos de base única (SNP), atuam de forma mais intensa na ocorrência de doenças como diabetes, asma infantil e alguns tipos de câncer.
 
O uso de organismos vivos (ou parte deles) para produção de bens e serviços para a sociedade proporciona à biotecnologia o alcance de muitas conquistas, no que se refere ao tratamento e cura das doenças que acometem a população. Entretanto, o uso de dados reais, aqueles obtidos através da análise de pacientes, nas pesquisas é muito difícil. “Na maioria das vezes, trabalhamos com dados sintéticos/simulados, o que leva a resultados, no mínimo, questionáveis”, conta a professora Kátia.
 
Associando ferramentas computacionais à biologia molecular foi possível descobrir que pequenas modificações pontuais (SNPs) no genoma do homem e a ocorrência de algumas doenças se devem não apenas a atuação de SNPs individuais, mas sim a uma combinação deles. Esse fenômeno é chamado de epistasia, ou seja, a interação de genes entre si, que provocam a inibição/modificação de outro alelo.
Dados levantados nessa pesquisa mostram uma visão detalhada do que é preciso para aperfeiçoar as técnicas utilizadas para solucionar o problema de epistasia. “Um maior conhecimento sobre os genes que influenciam na ocorrência dessas doenças é importante tanto na prevenção, como também na produção de fármacos mais adequados para cada pessoa”, afirma a mestranda Flávia Araújo. E assim, projetos como esse incentivam cada vez mais a contribuição para uma ciência como a biologia que trata de vida.
 

Esse trabalho é o resultado da dissertação de mestrado de Flávia Araújo, aluna do CIn da UFPE. Na Próxima quinta-feira (14), ela será avaliada pelos pesquisadores: Profa. Renata Cardoso Souza (CIn / UFPE), Profa. Ana Maria Benko-Iseppon (Genética /UFPE), Prof. Alberto Martín Rivera Dávila (FIOCRUZ) e Profa. Katia Guimarães (CIn / UFPE). No mesmo dia o CIn comemora sua milésima defesa de mestrado em 36 anos.

Comentários desativados