Pós-Graduação em Ciência da Computação – UFPE
Defesa de Tese de Doutorado Nº 503

Aluna: Luma da Rocha Seixas
Orientador:  Prof. Alex Sandro Gomes
Co-orientador: Prof.  Ivanildo José de Melo Filho (IFPE/Campus Paulista)
Título: Efeitos da utilização de estratégia de Adaptabilidade na 
experiência de criação e compartilhamento de Memórias Coletivas em 
aplicação de u-learning
Data: 17/09/2020
Hora/Local: 9h  – Online – https://meet.google.com/biw-kxdw-ptd
Banca Examinadora:
Profa. Simone Cristiane dos Santos Lima (UFPE / Centro de Informática)

Prof. Giordano Ribeiro Eulalio Cabral (UFPE / Centro de Informática)
Prof. George Félix Cabral de Souza  (UFPE / Departamento de História)
Prof. Eliane Schlemmer  (UNISINOS / Programa de Pós-Graduação em Educação)
Prof. Fabiano Azevedo Dorça  (UFU / Faculdade de Computação)


RESUMO:

Os ambientes de aprendizagem ubíqua têm se posicionado como uma ferramenta
com potencial abrangente no que diz respeito a adaptabilidade. Com isso, tal
abordagem tem sido utilizada para apoiar a aprendizagem em diferentes 
domínios.
Dentre eles, estratégias que colaborem para a educação e preservação do
patrimônio histórico. Uma oportunidade a ser explorada é a utilização do 
espaço urbano como uma forma de aprender sobre locais históricos através de 
memórias coletivas. Contudo, o cenário da aprendizagem ubíqua tem enfatizado a 
escassez de trabalhos que caracterizem as estratégias de adaptabilidade existentes, 
bem como, seus efeitos na experiência dos aprendizes. Neste sentido, essa 
pesquisa buscou investigar o impacto de uma estratégia de adaptabilidade na 
experiência de criação e compartilhamento de memórias coletivas dos  participantes em uma
aplicação ubíqua. Para tanto, a pesquisa seguiu diretrizes do processo de Design Science Research. Inicialmente, foi realizada uma revisão sistemática da 
literatura para identificar as estratégias de adaptabilidade em ambientes de 
aprendizagem ubíqua. Um artefato digital foi proposto, desenvolvido e avaliado para 
permitir acesso à conteúdo geolocalizado, destacando o patrimônio histórico local 
por meio de memórias coletivas. Com base no paradigma Interpretativista, 
foi realizada uma etnografia no intuito de investigar as interações em um 
grupo de convivência de idosos e obter informações sobre sua experiência 
utilizando o artefato proposto. Concluiu-se que, a utilização do artefato 
contribuiu no sentido da expansão das narrativas da forma oral para o 
formato digital através dos locais históricos e memórias compartilhadas. 
Observou-se que tal interação promoveu o resgate de memórias. A estratégia 
de adaptabilidade selecionada permitiu que os membros do grupo 
permanecessem focados nas áreas próximas à sua localização e, 
consequentemente, pudessem colaborar de forma mais eficaz.

Palavras-chave: Aprendizagem Ubíqua, Adaptabilidade, Educação Patrimonial,
Memórias Coletivas.

Comentários desativados