Desenvolvido para ajudar as pessoas a moverem seus corpos de forma divertida durante uma chamada em grupo com amigos, o projeto Face the Wall, desenvolvido por quatro estudantes do curso de Engenharia da Computação do Centro de Informática (CIn) da UFPE, foi o grande campeão do F8 Refresh Hackathon do Facebook. Os alunos Alexandre de Queiroz Burle, Danilo Vaz Marcolino Alves, Matheus Vinícius Teotonio do Nascimento Andrade e Uanderson Ricardo Ferreira da Silva compuseram a única equipe brasileira a ser premiada na competição internacional.

A ideia do projeto nasceu da preocupação com o aumento do tempo em que as pessoas passaram a ficar sentadas em suas cadeiras, quer estejam trabalhando online ou conversando com amigos, por conta da pandemia. Neste contexto, o grupo quis oferecer uma solução que fizesse com que o usuário movimentasse o corpo apesar da necessidade de estar conectado e de frente a um computador. A plataforma, portanto, permite que os usuários se movimentem mais, ao mesmo tempo em que se divertem e passam a interagir com seus amigos de uma forma divertida.

O hackathon, que ocorreu de forma online entre os dias 03 a 10 de maio, foi composto por 4 trilhas, 2 usando Spark AR e 2 usando Wit.ai. A equipe do CIn escolheu desenvolver o projeto através da trilha do Wit.ai, que tinha como objetivo desenvolver uma aplicação VR/AR que pudesse utilizar os benefícios do reconhecimento de voz e processamento de linguagem natural fornecido pela ferramenta.

Em nome da equipe, o aluno do CIn Uanderson Ricardo contou que a ideia do projeto surgiu a partir do desejo do grupo de fugir do lugar comum e criar uma plataforma “fora da caixa”. “Conseguimos desenvolver uma plataforma que nos permitiu construir um ambiente bastante divertido tanto no desenvolvimento quanto na experimentação do nosso próprio projeto. Além disso, durante todo o processo, buscamos utilizar ferramentas que já tínhamos alguma experiência e trabalhamos o tempo todo em equipe, usando recursos de compartilhamento de tela e chamadas em grupo, o que, com certeza, tornou o processo criativo bem mais dinâmico e suave”, afirma.

Desta forma, através do Face the Wall, os jogadores entram em salas com seus amigos e usam a câmera para capturar poses que devem ser replicadas pelos adversários no menor tempo possível. A voz é utilizada como controle no jogo: para navegar entre as telas e capturar as poses. São utilizadas redes neurais para capturar as articulações do corpo, comparar as poses e segmentar a imagem. Mais informações sobre a plataforma desenvolvida pelo grupo do CIn podem ser acessadas no site do evento.

As equipes vencedoras da competição também foram premiadas com uma quantia em dinheiro. Pela primeira colocação no desafio, a equipe do CIn levou para casa o valor de $10,000 mil dólares. “Para sermos sinceros, ainda não estamos acreditando 100% que vencemos a competição. A surpresa e emoção de ter ganho foi imensa, mas a ficha vai caindo aos poucos e consequentemente a felicidade só aumenta. O fato do hackathon ter sido internacional e de termos concorrido com vários projetos incríveis, enaltece ainda mais o nosso feito. Como o próprio anunciador comentou na apresentação dos vencedores na conferência, na competição desse ano, a “barra” foi muito alta e, por isso, nos orgulhamos muito de ter representado o Brasil e o CIn, colocando a nossa comunidade entre os melhores do mundo”, finaliza Uanderson.


Comentários desativados