Uma rede de relacionamento em tempo real entre o público e empresas locais. Esta é a proposta do Locus, um dos três projetos do Centro Integrado de Tecnologia da Informação (CITi), empresa júnior do Centro de Informática (CIn) da UFPE, que concorre ao Prêmio Pernambuco Inovador 2010.
O Locus visa estabelecer um modelo de presença para as empresas nas redes sociais de forma efetiva. E a solução é estruturada em cima de três pilares fundamentais para o estabelecimento do modelo de presença Locus: localização das empresas nas cidades, personalização de suas marcas e monitoramento do “boca-a-boca” na rede.
 
Segundo o Presidente do CITi e Gerente de Negócios do Locus, Flávio Vasconcelos, a ideia surgiu em novembro de 2009, depois de muita pesquisa sobre o tema, mas foi no início deste ano que o projeto amadureceu. “Discutimos muito, debatemos várias possibilidades, falamos da ideia para parentes, professores, amigos, e sempre ouvíamos mais do que falávamos. É muito importante ouvir a opinião das pessoas, não adianta esconder o projeto”, diz Flávio. Além dele, Arthur Elihimas, Diego Phoenix Menor Edemilson Dantas e Eudes Cavalcanti também fazem parte do grupo.
 
Para os usuários, a importância de ter um canal para se relacionar, de maneira fácil e direta, com as empresas que estão na sua cidade. O Locus possui 120 perfis de Twitter cadastrados de empresas locais atuando em Recife. As categorias que agrupam essas empresas são: Bares e Restaurantes, Colégios e Cursos, Varejo, Shoppings, Cinemas, entre outros. Assim, também resolver o problema das empresas de entrar nas redes sociais, saber se portar nelas, traçar estratégias adequadas ao seu público alvo, monitorar suas ações e, inclusive, prestar consultoria especializada.
“É importante para que nós consigamos mudar algo, é disso que se trata empreendedorismo, ser inconformado com sua realidade e tentar mudá-la, no nosso caso, oferecendo novos serviços para a sociedade”, afirma.
 

O Prêmio Pernambuco Inovador tem como objetivo, essencialmente, estimular as ideias inovadoras baseadas na Tecnologia da Informação. “É importantíssimo não só para conseguirmos a incubação, mas também para ganharmos a divulgação e principalmente para termos um prêmio no currículo do projeto. Isso é um diferencial quando formos concorrer à investimentos maiores. Além disso, a experiência de empreender é realmente muito gratificante, se você tem uma ideia, não importa se parece simples, invista nela! Procure saber se seu produto é inovador, se existe algo igual, se várias pessoas sentem a necessidade da solução que você está propondo. Vá atrás principalmente de pessoas que comprem [a ideia], não só na questão de investimento financeiro, mas pessoas que queiram dedicar tempo e entrar com você nesse desafio”, conclui o Presidente do CITi.

Comentários desativados