A equipe de alunos do Centro de Informática (CIn) da UFPE, desenvolvedora do projeto “Nomu – Sistema de Monitoramento da Qualidade, Volume e Predição de Consumo de Água”, foi premiada como projeto mais inovador e saiu vencedora da Competição de Sistemas Embarcados (ESC) 2020, do Simpósio Brasileiro de Engenharia de Sistemas Computacionais (SBESC). A competição, organizada pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC), aconteceu de forma virtual entre os dias 24 e 27 de novembro.

O Projeto Nomu, que foi desenvolvido pelos alunos do curso de engenharia da computação Thalisson Moura Tavares, Rafael Carneiro Reis de Souza e Lucas Job Brito Araujo, tem como objetivo solucionar o desafio de conservar e proteger o bem mais precioso que temos: a água. Através do monitoramento contínuo, acessível e inteligente de sua qualidade e volume, oferecendo maior acessibilidade dos dados para o usuário, o sistema Nomu realiza amostragem de medições de parâmetros físico-químicos e do índice de qualidade de água que são disponibilizadas em um aplicativo mobile em tempo real, permitindo assim, uma maior facilidade no acesso às informações da água.

Além da equipe vencedora, outros dois times de alunos do CIn participaram da competição com ótimas avaliações. O projeto “Herói Cuidador – Sistema de Avaliação Postural e Sobrecarga Muscular” foi desenvolvido pelos alunos do curso de Engenharia de produção André Vinícius Campos Lucena, Ítalo Henrique Leça da Silva e Luisa Nogueira Costa Cavalcante. O projeto é um sistema de prevenção a problemas musculares e posturais para cuidadores de idosos. Através de uma cinta que inclui sensores que medem a atividade muscular da região lombar e a postura do usuário, o sistema identifica posturas e movimentos que podem ocasionar problemas musculares e informa ao usuário através de resposta táctil.


Já o projeto “YANA – You are Not Alone – Pulseira Inteligente contra a Violência nas Mulheres”, das alunas também do curso de Engenharia da Computação Luana Amado e Letícia Maciel, atua com o objetivo de dar mais segurança a mulheres vítimas de violência doméstica por meio da detecção de possíveis situações de perigo. Através de uma pulseira inteligente o sistema usa sensores para monitorar o ambiente em que a mulher se encontra, bem como sinais vitais que indicariam situação de estresse.  Quando a pulseira detecta possíveis situações de perigo, usa o aplicativo no celular da vítima para informar o “guardião” sobre a situação.


Finalmente, o projeto Muo Care foi desenvolvido por equipe da UFRPE e UFPE e contou com a participação dos alunos do CIn Rafael Jesus de Araújo Vasconcelos e Tiago da Silva Barros. O grupo foi orientado pelo Prof. Victor Medeiros da UFRPE. Trata-se de um sistema integrado de hardware, app e sistema web que auxilia médicos veterinários, técnicos e produtores de leite no diagnóstico precoce da mastite. Através de uma câmera termográfica, ergonomicamente associada a um smartphone, o sistema identifica e mede a temperatura do úbere e, utilizando inteligência artificial, avalia a saúde do animal. 

Comentários desativados