Em mais um ano atípico, com restrições sanitárias, distanciamento social e o trabalho remoto, o Centro de Informática (CIn) da UFPE chama atenção pelos resultados da coordenação de cooperação e inovação, setor criado em 1999 como interface entre a academia e o mercado. A atividade é liderada pelos professores Veronica Teichrieb e Abel Guilhermino. Somente este ano, o CIn renovou suas cooperações com a Motorola, a Samsung, a Apple, a HP, a VTEX, o Ministério da Educação (MEC), o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), e a Emprel, além de outras parcerias em andamento.

O Centro iniciou também a sua atividade como Unidade EMBRAPII este ano, com foco em empresas que trabalham com tecnologias veiculares, como a Baterias Moura e a Stellantis/FCA, por exemplo. A empresa de baterias foi a primeira parceira EMBRAPII do Centro.

O desenvolvimento de cursos de formação para advogados foi uma das atividades inovadoras realizada em parceria com a Queiroz Cavalcanti Advocacia. O Banco Central também iniciou projetos na área de inteligência artificial com o CIn. Finalmente, as empresas Compesa, In Forma e Tempest estão patrocinando a formação de doutorandos do CIn em temas de pesquisa de interesse, como parte do programa de doutorado acadêmico para inovação, se mantendo na vanguarda de tecnologias emergentes pesquisadas no Centro.

A interação entre a universidade, as instituições governamentais e o setor produtivo gera um grande impacto de relacionamento entre as partes citadas através de parcerias que transformam projetos e pesquisas em resultados práticos, voltados para necessidades reais identificadas no mercado.
O trabalho da coordenação é fomentar novas ideias, estabelecer parcerias e articular soluções inovadoras que possam resolver desafios e problemas apresentados pelos potenciais parceiros. “Essa é a ponte entre a universidade, o governo, o mercado e a sociedade. A missão da coordenação de cooperação e inovação é fazer com que o conhecimento, a pesquisa e as tecnologias geradas pela universidade possam ajudar as empresas a inovar mais e serem mais competitivas, para que seus propósitos sejam cumpridos e gerem frutos para toda a sociedade”, explica a coordenadora Veronica.

Desde 2002, o CIn desenvolve projetos com a Motorola para formação de pessoas, com o primeiro programa de residência em testes, engenharia de software e robótica. Em 2005, a Samsung também se tornou parceira do Centro na área de testes, TV digital e soluções para aplicativos. Desde então, o Centro tem aumentado o seu portfólio de experiências com empresas e colaborando de forma efetiva com a formação de pessoas na área de TI e o desenvolvimento do setor produtivo de tecnologia.

Ao todo, o CIn conta atualmente com 28 projetos de cooperação. Diferentes modalidades de parceria são possíveis, como projetos incentivados pela Lei de Informática e Lei do Bem, os Programas e Projetos Prioritários de Interesse Nacional – PPIs com EMBRAPII, Softex e RNP, o Programa Rota 2030, a EMBRAPII, assim como financiamentos privados e públicos. Em Pernambuco também temos o incentivo do INOVAR-PE, para projetos com empresas do Estado.

Coordenação de Cooperação e Inovação – As atividades vão desde formação e capacitação, pesquisa e desenvolvimento de tecnologias sofisticadas, inovação, transferência de resultados e consultoria. Mais de 100 pesquisadores colaboram com o desenvolvimento da pesquisa e o mercado de TI brasileiro, através da cooperação do CIn com o mercado. Todas essas iniciativas levam o CIn a se destacar e a funcionar como um hub de Tecnologia da Informação e Comunicação em Pernambuco, tendo atuado na criação de instituições como o Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (CESAR), o Porto Digital e, mais recentemente, o Instituto SENAI de Inovação para TICs (ISI-TICs), além de contribuir para a geração de diversas startups de sucesso.

Comentários desativados