Pós-Graduação em Ciência da Computação – UFPE
Defesa de Tese de Doutorado Nº 533

Aluno: Ítalo César de Souza Belo
Orientador: Profa. Carina Frota Alves
Título: Um Metamodelo de Parceria e Padrões Estratégicos para Criação de Ecossistemas de Software
Data: 29/11/2021
Hora/Local: 14h – Virtual – Interessados em assistir entrar em contato com o aluno
Banca Examinadora:
Prof. Kiev Santos da Gama (UFPE / Centro de Informática)
Profa. Simone Cristiane dos Santos Lima (UFPE / Centro de Informática )
Prof. Wylliams Barbosa Santos (UPE / Escola Politécnica de PE)
Prof. Rodrigo Pereira dos Santos (UNIRIO / Centro de Ciências Exatas e Tecnologia)
Prof. Jose Gilson de Almeida Teixeira Filho (UFPE / Depto. de Ciências Administrativas)


RESUMO:

Ecossistemas de software possuem uma plataforma tecnológica sobre a qual é 
estabelecido um mercado de soluções de software. Eles possibilitam a 
geração de valor através de inovação compartilhada feita por meio de 
parcerias entre seu orquestrador (o keystone) e os complementadores. Esse 
valor consiste em benefícios que estes atores recebem, bem como seus 
clientes. Porém, a geração dos benefícios do ecossistema de software é 
afetada pela maneira como as alianças entre o keystone e os 
complementadores são criadas e nutridas. Nesse contexto, organizações como 
a Fundação Eclipse, Microsoft e SAP utilizam modelos de parceria para 
orquestrar suas alianças em seus respectivos ecossistemas.
Os modelos de parceria são utilizados pelo keystone para gerenciar sua rede 
de complementadores, ou seja, atrai-los, agrupá-los e mantê-los. Essa 
gestão abrange a definição de benefícios, direitos e responsabilidades dos 
parceiros no ecossistema de software. Dessa maneira, são disponibilizadas 
diversas soluções complementares à plataforma do ecossistema, fomentando o 
efeito de rede através da atração de clientes, o que atrai mais parceiros. 
Isso é um ciclo virtuoso de crescimento que promove o desenvolvimento do 
ecossistema de software. Porém, é difícil para gestores e pesquisadores 
terem uma visão holística e integrada dos elementos e relações necessários 
a definição de modelos de parceria para ecossistemas de software e não foi 
encontrado na literatura algum artefato que possibilite ter essa visão.
Outro problema relacionado com a definição de modelos de parceria é a 
dificuldade em tratar fatores como a gestão da plataforma e a atração e 
seleção de parceiros, que afetam os modelos de parceria ao migrar de um 
produto de software para um ecossistema. Muitas empresas falham ao tratar 
esses fatores durante essa mudança, embora exista uma propensão de muitas 
organizações mudarem de um produto de software independente para um 
ecossistema. Isso dificulta a definição de modelos de parceria adequados. 
Diante dessa situação, nesta tese são propostos um metamodelo de parceria e 
4 padrões estratégicos para operacionalizá-lo.
Como método de pesquisa foi utilizado Design Science Research (DSR). O 
metamodelo de parceria foi construído no primeiro ciclo de DSR, usando um 
Mapeamento Sistemático da Literatura, e foi validado por meio de estudos de 
caso nos ecossistemas SAP, Eclipse e Microsoft Azure. No segundo ciclo de 
DSR, os padrões estratégicos foram definidos através de uma Revisão 
Multivocal da Literatura e validados por meio de entrevistas com 
profissionais. O metamodelo apresenta as principais características para 
definir modelos de parceria para ecossistemas de software emergentes. Dessa 
maneira, ele possibilita ter uma visão global e integrada dos elementos e 
relações necessários a definição de modelos de parceria para ecossistemas 
de software.
Os padrões estratégicos visam operacionalizar o metamodelo proposto e, 
consequentemente, através de suas diferentes estratégias, ajudar o keystone 
a definir seu modelo de parceria e criar seu ecossistema a partir de um 
produto de software, considerando o impacto dessa transição na definição do 
modelo de parceria.

Palavras-chave: Ecossistema de Software, Modelos de Parceria, Design 
Science Research.

Comentários desativados