Projeto vencedor desenvolveu um app de compartilhamento de localização focado na mobilidade segura da mulher no contexto urbano

Um grupo de estudantes da UFPE venceu a segunda edição da Hackatona, realizada entre os dias 28 e 30 de janeiro de 2022. A competição proposta pela Agência São Paulo de Desenvolvimento (Ade Sampa) é exclusiva para mulheres, cis e trans, e tem como foco pensar soluções tecnológicas que contribuam para o desenvolvimento de eixos que perpassam o cotidiano feminino, como o combate ao machismo, desigualdade salarial e feminicídio. As iniciativas deveriam ter como cenário a realidade de São Paulo, mas em razão do formato online adotado, a participação foi expandida para interessadas de todo o Brasil.

Ao todo, foram 45 equipes participantes. O projeto vencedor foi um protótipo de aplicativo de compartilhamento de localização, com foco na segurança da mulher durante a mobilidade urbana. A proposta foi formulada pelas estudantes Débora Fernandes, responsável pela área de design, Amanda Albuquerque e Milena Katryell, da área de produto e negócios, e as desenvolvedoras Beatriz Férre e Roseane Oliveira. Milena é do curso de Secretariado Executivo e Débora é graduanda em Serviço Social, enquanto Beatriz e Roseane cursam Ciência da Computação. Para Roseane, a experiência foi de suma importância em sua formação. “Foi desafiador e de grande aprendizado. O CIn colaborou para estruturar essa equipe através do HackaPride e do curso de Ciência da Computação”, conta a estudante, que está no segundo período da graduação. A live de apresentação das finalistas e premiação está disponível no YouTube.

SOBRE A HACKATONA

A Hackatona é uma maratona hacker exclusiva para mulheres cis e trans, com o objetivo de expandir o conhecimento, compartilhar experiências, criar novas redes e principalmente dar voz a essas mulheres da área de tecnologia e programação. O torneio é uma iniciativa da Prefeitura da Cidade de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, e intermédio da Agência São Paulo de Desenvolvimento (Ade Sampa).

Comentários desativados