Criar uma rede de dispositivos móveis para fiscalização colaborativa e tornar os motoristas de trânsito mais educados. Esta foi a ideia do ex-aluno do Centro de Informática (CIn) da UFPE, Rafael Donato, com o Sparrow. O projeto teve participação no Campus Party, realizada recentemente em São Paulo, na categoria Campuseiros Empreendem Para Dispositivos Móveis.
 
O Projeto Sparrow permite a qualquer pessoa que tenha baixado a aplicação registrar e enviar flagrantes de irregularidades através de fotos e vídeos, em um canal seguro, às autoridades reguladoras competentes (Detran, CET, CTTU, PRF, etc). Além do registro visual, os registros acompanham dados de GPS com data e hora obtidas a partir de um servidor NTP externo. Isto evita possíveis adulterações do horário do dispositivo, por parte do usuário. Os registros não poderão ser baixados para nenhum computador, sendo assim, será possível apenas enviá-los à central da autoridade reguladora, e somente lá eles serão decodificados.
 
Segundo Rafael Donato, as autoridades reguladoras terão um aumento de arrecadação, o que pode gerar incentivos fiscais para a população que colaborar, como, por exemplo, crédito para pagamento de IPVA.
 
“A importância do Sparrow reside não só no fato de se conseguir aumentar a arrecadação da entidade reguladora, mas de promover um trânsito melhor, haja vista que os condutores não saberão exatamente onde poderá existir um fiscal que possa flagrá-lo, e assim ele terá que ser precavido o tempo todo”, afirma o criador do aplicativo.
 
Para ter acesso, basta se cadastrar no sistema da entidade reguladora, baixar o programa e começar a utilizá-lo.
Ainda de acordo com Donato, esse projeto foi inicialmente pensado para fiscalização de trânsito, porém ele se adéqua a todo tipo de fiscalização, como por exemplo a fiscalização do tempo de máximo de espera em fila de banco (PROCON), atrasos de voos (ANAC), etc.

Comentários desativados