Com o objetivo de estimular práticas extracurriculares através da robótica e desenvolver a área dentro do Centro de Informática (CIn) da UFPE, alunos da graduação decidiram formar um grupo de estudos e projetos: o RobôCIn. Atuante desde novembro de 2015, o grupo conta atualmente com a orientação dos professores Edna Barros e Hasenclever Bassani. O laboratório do RobôCIn fica na sala B021, no Bloco B do CIn, onde os estudantes se reúnem para desenvolver atividades semanais relacionadas ao projeto.

 
Entre os dias 10 e 12 de outubro, no Recife, o grupo vai participar da Competição Latino Americana de Robótica (LARC), na categoria Very Small Size – Soccer, proposta pelo Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (IEEE). A expectativa dos alunos na participação desse evento é trazer mais conhecimento para o projeto, amadurecendo a equipe e trazendo inovação para a categoria.
 
“Apesar de sermos uma equipe iniciante, temos a expectativa de surpreender, pois estamos fazendo tudo do zero”, disse Gabriel Bandeira, integrante do RobôCIn.
 
Para o projeto, a equipe se divide em três áreas, sendo elas: Estratégia, que cuida da inteligência dentro do jogo de futebol, desenvolvendo algoritmos responsáveis pelo movimento do robô, além de estratégia e antecipação de eventos; Visão computacional, que utiliza uma câmera em cima do campo para extrair todas as informações possíveis do jogo, e assim, fornecer as informações necessárias para a parte estratégica; e Hardware, parte responsável por planejar e construir os robôs do grupo.
 
Gabriel explica como funcionam os robôs: “Todos eles têm tiveram suas estruturas modeladas e impressas em 3D. Cada equipamento possui um controlador programável, um driver de motor, dois motores, um sensor inercial e um módulo de rádio para comunicação com um computador central que processa a visão computacional e a estratégia e envia comandos de velocidade para cada robô. Remover a próxima sentença, pois está repetitiva: Cada robô obedece aos comandos de velocidade do computador central, o computador central é onde a equipe de visão identifica tudo do jogo, repassa para o código de estratégia, e este manda os comandos para cada robô”.
 
O Professor do CIn-UFPE e um dos orientadores do projeto, Hasenclever Bassani, acredita que a área de robótica seja estratégica e tenha um alto impacto socieconômico nos próximos anos, por isso é importantíssimo desenvolvê-la no Centro.
 

Comentários desativados