Dois projetos desenvolvidos por estudantes do CIn-UFPE prometem ajudar pessoas com deficiência auditiva e crianças com transtorno do espectro autista através da tecnologia aplicada na comunicação. O AuTecla e o Visual Talk foram trabalhos desenvolvidos para a Competição Intel de Sistemas Embarcados, que reúne projetos construídos com a placa placa Intel® Galileo gen2 aplicando Internet of Things (IoT) em diversas áreas. As plataformas serão apresentadas no II CIn Innovation Expo, que será realizado no dia 2 de dezembro, das 9h às 17h, no quarto andar do Bloco E do CIn- UFPE.

 

Visual Talk

Cerca de 170 mil pessoas no Brasil se declararam deficientes auditivas e para auxiliar a comunicação destas pessoas com a sociedade, desenvolveu-se a Língua brasileira de sinais (LIBRAS). No entanto, uma pequena parte da população a conhece. Assim, o Visual Talk surge como uma solução computacional para traduzir símbolos LIBRAS para símbolos do alfabeto. Para garantir a tradução em tempo real, alguns componentes de hardware foram construídos para cumprir as tarefas de processamento de imagem mais custosas, tais como a conversão de espaço de cores e binarização da imagem. O projeto foi desenvolvido pelos estudantes Rafael Macieira, Lucas Cambuim, Fernando Maciano e pela professora Edna Barros. O projeto recebeu o 2º. Prêmio na Competição Intel de Sistemas Embarcados de 2014.

 

AuTecla

O Transtorno do Espectro Autista é um conjunto de distúrbios de comunicação e interação social que afeta 1 em 45 pessoas no mundo. Para auxiliá-las, o sistema AuTecla foi projetado, unindo o tratamento PECS à tecnologia. O PECS, Picture Exchange Communication System, é um sistema já validado que funciona através da troca de figuras entre a criança autista e o médico. Assim, o AuTecla permite o acompanhamento remoto do médico e a adaptação conforme a evolução do usuário. O projeto foi desenvolvido pelas alunas Gabriela Alvez, Júlia Feitosa e Laís Bandeira, que conquistaram o título de Melhor Equipe Feminina da Competição Intel de Sistemas Embarcados. O projeto recebeu o Prêmio de Melhor Equipe com Maioria Feminina na Competição Intel de Sistemas Embarcados de 2016.

 

Comentários desativados