Pós-Graduação em Ciência da Computação – UFPE
Defesa de Tese de Doutorado Nº 514

Aluna: Danielle Santos Alves
Orientadora: Profa. Valéria Cesário Times
Co-orientadora: Profa. Magdala de Araújo Novaes (UFPE / NUTES)
Título: Um Modelo Clínico de Assistência Perinatal para o Desenvolvimento 
Sistemas Computacionais de Telemonitoramento Obstétrico
Data: 15/04/2021
Hora/Local: 9h – Virtual – interessados em assistir entrar em contato com a aluna
Banca Examinadora:
Prof. Fernando da Fonseca de Souza (UFPE / Centro de Informática)
Prof. Zilma Silveira Nogueira Reis (UFMG / Departamento de Ginecologia e 
Obstetrícia, do Programa de Pós-graduação em Saúde da Mulher)
Prof. Ricardo João Cruz Correi a(Universidade do Porto / Faculdade de Medicina)
Prof. Claudia Maria Cabral Moro Barra (PUC/PR / Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Prof. Paula Rejane Beserra Diniz (UFPE / Centro de Ciências Médicas)


RESUMO:

Introdução:  A tecnologia é, portanto, um meio potencial de envolver as 
mulheres no cuidado de sua gravidez, incluindo-as como participante ativa 
de seu próprio processo de cuidado. O telemonitoramento obstétrico tem se 
tornado uma alternativa promissora para o acompanhamento gestacional à 
distância, especialmente para uso em locais onde o acesso a especialistas é 
escasso e pode ser incorporado na assistência perinatal como adjuvante no 
seguimento clínico das mulheres.  A literatura revisada sugeriu que, para 
aumentar a probabilidade de sucesso das intervenções de telemonitoramento, 
há uma necessidade crítica de definição clara dos dados obstétricos, 
realizar estudos aprofundados do(s) fluxo(s) de trabalho desempenhados 
pelos usuários (especialmente pelos profissionais de saúde) que são usados 
como base para o desenvolvimento de sistemas de telemonitoramento em saúde 
e de perceber os processos clínicos envolvidos, garantindo um impacto 
positivo na qualidade do atendimento, com especial atenção para melhorar o 
diagnóstico, o manejo clínico e os cuidados centrados no paciente.   A base 
conceitual deste trabalho fundamenta-se no entendimento do status quo da TI 
em saúde, bem como nas necessidades e oportunidades atuais em obstetrícia 
para melhorar as capacidades dos profissionais de saúde e os resultados 
positivos para mães e recém-nascidos. A inovação desta tese é ter mostrado 
que uma parte substancial da semântica de um importante domínio da saúde 
(obstetrícia), atualmente representável apenas nas mentes de profissionais 
de saúde, pode ser representada computacionalmente por meio de uma 
abordagem de modelagem avançada, de modo que a obstetrícia futura e os 
sistemas RES podem incorporar planos obstétricos, suporte à decisão e 
conjuntos de dados detalhados dentro do ambiente cognitivo dos 
profissionais, bem como das gestantes, colocando a mulher como protagonista 
de seu cuidado. O formalismo adotado nesta tese foi o padrão openEHR. 
Objetivo: Desenvolver e validar a proposta de um modelo de representação 
semântica de dados, lógica de decisão e processos clínicos para cuidados de 
saúde, com foco nas boas práticas de assistência perinatal de uma gravidez 
de risco habitual, baseado em padrão de informação em saúde, implementado 
em um sistema de telemonitoramento obstétrico chamado MOM (Mobile Obstetric 
Monitoring). Método: Estudo do tipo quantitativo e qualitativo, baseado no 
paradigma do Design Science Research (DSR). Foi identificado o panorama na 
qual a formalização de um modelo clínico de assistência perinatal aplicado 
ao desenvolvimento de sistema de telemonitoramento obstétrico poderia ser 
inserido; foi realizada a revisão de literatura para compilação dos 
principais protocolos clínicos nacionais e internacionais de assistência 
perinatal, bem como trabalhos correlatos e principais características dos 
formalismos computacionais disponíveis para representação de fluxograma de 
trabalho, logica de decisão e sistemas de telemonitoramento obstétrico.   
Procedeu-se a validação do conteúdo do modelo de informação proposta 
através de profissionais especialistas no domínio (obstetras). Resultados: 
Com base na instanciação do DSR para o cuidado perinatal, foi proposto um 
novo método para especificação do modelo de informação (método KSWT), 
consistindo em quatro etapas: mapeamento do conhecimento (K); Correlação 
com padrões de informação em saúde (S); Definição de fluxograma de trabalho 
(W); e Implementação de modelos no RES (T). Como resultado, foi gerado: 1) 
um mapa mental com 2454 dados clínicos representado por 172 arquétipos 
(entre disponíveis, editados e propostos para a CKM) e 48 templates; 2) o 
Work Plan (WP) perinatal subdividido em quatro sub-tarefas que são chamadas 
de Task Planning (TP): a) Consulta pré-natal; b) avaliação de risco de 
assistência pré-natal; c) Trabalho, parto e assistência ao recém-nascido; 
d) Cuidados pós-parto (mulher e recém-nascido);  3) implementação e 
validação do modelo de informação em uma plataforma com arquitetura 
openEHR, através de um sistema de telemonitoramento – MOM. Conclusão: A 
base conceitual deste trabalho fundamentou-se na proposta de mudança de 
paradigma do status quo dos SIS a partir da apresentação de um método para 
construção de modelo semântico para cuidados em saúde, com foco na 
assistência perinatal. Buscou-se observar as capacidades atuais dos 
sistemas existentes para atender as necessidades dos profissionais de 
saúde, oferecendo mecanismos de definição dos modelos para obstetrícia.

Palavras-chave: sistema de telemonitoramento, obstetrícia, fluxograma de 
trabalho, padrão de informação em saúde

Comentários desativados