Preservar a memória de uma instituição é valorizar sua jornada e prestigiar todos os marcos importantes de sua história. É isso que o livro “Memória CIn-UFPE” traz ao longo de suas 156 páginas, que já podem ser lidas de forma gratuita através do Portal de E-Books da Editora UFPE.

Escrita pela jornalista Júlia Nogueira de Almeida a partir dos depoimentos de 21 nomes fundamentais para o desenvolvimento do Centro de Informática (CIn) da UFPE, a obra resgata a trajetória de uma instituição de excelência desde sua criação até os dias atuais, mostrando o entrelaçamentos de relatos, lembranças, afetos e curiosidades do CIn.

A construção do livro, desde as primeiras entrevistas até o produto final, durou pouco mais de dois anos. Neste processo, uma equipe multiprofissional atuou para tornar a publicação da obra possível.

“Participar do projeto foi uma grande honra e imenso aprendizado. A minha missão foi ouvir 21 depoimentos de pessoas cujas trajetórias de vida e profissionais se confundem com a própria história da do Centro de Informática, desde os seus primórdios até os dias atuais. Depois eu, junto com um time, transformei esses depoimentos em texto corrido e o resultado é esse, um produto de um trabalho feito com muito carinho, dedicação e afinco”, contou a jornalista Júlia Almeida.

Num passeio pela cronologia dos fatos marcantes que integram a linha do tempo de Centro, o livro reflete o longo e dedicado trabalho coletivo realizado pela comunidade que compõe a instituição. Além disso, de acordo com o Reitor da UFPE, Alfredo Gomes, o exemplar celebra a educação superior como espaço de criação, transformação e construção de conexões, de novas relações sociais e oportunidades. O livro é fruto do projeto “Memória – Reconectando Histórias”, oficialmente iniciado em 2016 e coordenado pelo professor José Augusto Suruagy.

Para ele, o resgate e a valorização da memória do Centro deve ser feita de forma ininterrupta. “Apesar do livro ser uma obra importante, não considero que seja a última, acredito que devemos expandir sempre mais, incentivar e resgatar essas memórias importantes”, declarou.

Em celebração aos 47 anos de trajetória do CIn, o livro foi lançado na última quarta-feira (11), durante uma cerimônia virtual transmitida pelo canal de Youtube do Centro.

A solenidade contou com a participação da jornalista Júlia de Almeida, em um vídeo de apresentação do livro, além da presença do atual diretor do CIn, Paulo Borba, dos professores André Santos e José Augusto Suruagy, diretor e vice-diretor do centro durante o início do projeto, e de Pedro Carelli, Pró-Reitor de Pesquisa e Inovação da Universidade, que representou o Reitor Alfredo Gomes.

“É com muito orgulho que a gente celebra a trajetória do CIn. Uma trajetória que é de muita dedicação, muito trabalho e muita contribuição para a sociedade”, celebrou o diretor Paulo Borba.

Ao fim do evento, a chave de ouro ficou por conta da apresentação do professor do CIn Geber Ramalho, que interpretou músicas de Luiz Ramalho, seu pai. Para assistir, basta acessar este link.

Agora, o livro “Memória CIn-UFPE” soma-se à publicação “Apontamentos para a história do Centro de Informática da UFPE”, do professor Agamemnon Lopes, formando um compilado histórico da instituição. Lançado em 2018, a obra assinada pelo professor cobre a fase do Departamento de Informática, entre 1953 a 1993, ano de sua aposentadoria da UFPE, enquanto o “Memória” apresenta desde o despertar para a necessidade da informatização da universidade até os dias atuais.

Sobre o CIn – Fundado em 1974 com a criação do Departamento de Estatística e Informática, ainda dentro do Centro de Ciências Exatas e da Natureza (CCEN), o CIn acumula mais de quatro décadas de história, prestígio e pioneirismo. O CIn foi alçado à categoria de Centro Acadêmico da UFPE há 22 anos, em 1999.

Contando com os cursos de graduação em Ciência da Computação, Engenharia da Computação e Sistemas de Informação, o centro se destaca com avaliação cinco estrelas no Guia do Estudante em seus três cursos de graduação oferecidos e está entre os cinco melhores cursos de computação do país no Ranking Universitário da Folha (RUF). Além disso, o programa acadêmico de pós-graduação é avaliado com nível 7 (valor máximo possível para qualquer programa nacional) pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O Centro tornou-se uma instituição referência em ensino e inovação no país e é considerado um dos maiores pólos universitários em tecnologia da América Latina.

Comentários desativados