A iniciativa é uma das estratégias para estimular a inovação e colaboração no enfrentamento da pandemia e outros desafios da saúde

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) implanta, no Centro de Informática (CIn), um Centro de Inovação em Saúde Digital (CISDi), em colaboração com o Ministério Público Federal (MPF) e o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). O Centro conta com a participação de mais de 20 pesquisadores do CIn-UFPE, com o objetivo de ampliar as atuais linhas de pesquisa e inovação em saúde digital, com foco imediato no enfrentamento da pandemia de covid-19 e horizonte de atuação nos desafios em saúde ao longo da década.

A ação insere-se nas atividades do acordo de cooperação técnica que envolve o Gabinete Integrado de Acompanhamento à Covid-19 (GIAC) do MPF, o CNMP e o Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD), na temática de ciência, tecnologia e inovação aplicada às emergências em saúde pública. A UFPE faz parte do acordo atual junto com outras universidades públicas e privadas, além de parceiros de diversos segmentos. “A criação do Centro de Inovação em Saúde Digital reforça o perfil da UFPE de ser uma instituição acadêmica de classe global com uma histórica vocação de atuação em saúde, com o olhar nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável para implantação, nesta década, da Agenda 2030”, destaca o reitor da UFPE, Alfredo Gomes.

Para o procurador-geral da República, Augusto Aras, a colaboração do MPF, por meio do Gabinete Integrado de Acompanhamento da Pandemia da Covid-19 do Gabinete do Procurador-Geral da República, e do CNMP com a UFPE “é uma contribuição do Ministério Público brasileiro para fomentar a inovação e evolução dos instrumentos científico-tecnológicos de resposta às crises sanitárias, a exemplo da atual pandemia”.

O CISDi aproveitará a expertise do CIn em tecnologias avançadas aplicadas aos diversos domínios da sociedade, entre os quais o setor de saúde, com a continuidade das atuais linhas de pesquisa e estruturação de novas para aplicação do estado da arte da ciência de dados e das tecnologias da informação e comunicação no campo da saúde pública global e emergências sanitárias. Para Paulo Borba, diretor do Centro de Informática da UFPE, “a criação do CISDi é muito importante para reforçar e dar destaque às iniciativas de pesquisa e inovação em saúde digital que são realizadas por pesquisadores do CIn em cooperação com colegas de outros centros da UFPE e outras instituições”.

Os professores do CIn, Hansenclever Bassani e Sérgio Soares, são os coordenadores do CISDi. O Centro de Informática da UFPE dará continuidade à colaboração com o MPF, apoiando projetos digitais já em curso, como a Plataforma Luna Medicina (ferramenta que unifica alertas da comunidade médica sobre a covid-19), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM).

“Essa articulação intersetorial é uma forma de estimular, a partir de Pernambuco, a colaboração para enfrentamento de crises sanitárias, com a formação de uma rede composta por entes do setor público e do setor científico-tecnológico. Nesse sentido, a UFPE tem se dedicado à ampliação de sua capacidade material e humana, que dará suporte às pesquisas e projetos científicos nas diversas áreas de conhecimento envolvidas”, afirmou o vice-reitor da UFPE, Moacyr Araújo.

Para o procurador regional da República Marcos Antônio da Silva Costa, coordenador nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) do GIAC/MPF, “a colaboração com a UFPE é uma das peças essenciais do mosaico de iniciativas que objetivam, a partir do ecossistema inovador de Pernambuco, ajudar a evolução da resposta brasileira às crises sanitárias, em cooperação com outros ecossistemas inovadores”.

O CISDi chega para dar continuidade aos diversos projetos que foram desenvolvidos por pesquisadores do CIn e de outras áreas da UFPE durante a pandemia: o Aurora 2.0 (robô esterilizador de ambientes), em parceria com outros Centros Acadêmicos da UFPE, o Lika-UFPE, IRRD/UFRPE, IFPE e CRCN; o TOP (Tecnologias para um Observatório de Pandemias), fruto de parceria com Instituto Federal do Sertão-Ouricuri e Cesar School; o XÔ COVID (sistema para projeção do crescimento da covid com inteligência artificial); a plataforma Observatório Covid-19; o respirador de baixo custo, em parceria com o Lika e o CTG-UFPE; o portal da iniciativa D.A.D.O. Recife, com o Porto Digital e a Prefeitura do Recife; e projeto de evolução emergencial do sistema de monitoramento de emergências do País, com OPAS, MS/SVS e Porto Digital, e apoio do MPF/GIAC. O relatório de um conjunto de projetos desenvolvidos no âmbito da UFPE está disponível aqui [Relatório final dos projetos da UFPE sobre a Covid-19 – Destaques – UFPE].

Comentários desativados