Construir uma instituição de excelência em ensino e pesquisa vai além de mera retórica e propaganda. No Centro de Informática (CIn) da UFPE, esse ideal é traduzido em resultados concretos e palpáveis, que o tornam uma referência na produção de conhecimento que abastece a academia e o mercado de trabalho a nível local, nacional e mundial. Entre os pilares que sustentam a consolidação dessa trajetória, está o Programa de Pós-Graduação Acadêmica em Ciência da Computação, que no próximo dia 25 de fevereiro atinge a histórica marca de duas mil dissertações de mestrado defendidas, ao longo de quase cinco décadas de existência. A pesquisa que corresponde a esse marco, intitulada “DAOS: A drift adaptative system for offloading CEP in Edge Computing”, foi desenvolvida pelo estudante João Alexandre da Silva Neto, sob orientação do professor Kiev Gama e coorientada pelo professor da Universidade de Pernambuco Jorge Cavalcanti Barbosa Fonsêca.

O trabalho de João Alexandre formula uma proposta de atuação na computação de borda (edge computing), paradigma em que o processamento de dados acontece mais próximo de sua origem, como nos dispositivos IoT. A solução Drift Adaptive Offloading System (DAOS) tem como objetivo utilizar aprendizagem online e detecção de concept drifts (desvios nos dados que levam à defasagem dos modelos) no processo de tomada de decisão de offloading, visando otimizar a execução de aplicações Complex Event Processing (CEP) na borda. O CEP é um paradigma utilizado para identificar padrões em um fluxo de eventos, viabilizando aplicações para detecção de fraudes financeiras ou anomalias em redes de computadores. Além disso, é adotado um mecanismo de fallback, uma espécie de rota alternativa, para utilizar políticas estáticas enquanto os modelos de inteligência não forem confiáveis. A defesa da dissertação acontece às 14h, em formato virtual.

EXCELÊNCIA ACADÊMICA

A produção robusta do CIn-UFPE se caracteriza pelo elevado patamar de qualidade e significativo impacto científico e social. Na avaliação da Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior (CAPES), o Programa de Pós-Graduação do CIn é o único do Norte-Nordeste a possuir conceito 7, valor mais alto da escala, o que aponta um alto padrão internacional de desempenho. A classificação considera vários aspectos, como o impacto da produção científica dos docentes e discentes, a qualificação do corpo docente e a qualidade da formação dos alunos. Dentre esses fatores de relevância, está a participação de professores do CIn na fundação do Porto Digital e do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (CESAR), que estão entre os mais importantes polos de tecnologia e inovação do Brasil e do mundo, e na concepção do Instituto SENAI de Inovação para Tecnologias da Informação e Comunicação (ISI-TICs).

O quadro de educadores do CIn-UFPE tem presença constante em diversas listagens que avaliam a produtividade científica a nível regional e global, como o ranking Alper-Doger Scientific Index 2021, que avaliou 16 professores do Centro entre os cientistas mais influentes da América Latina, e a lista de cientistas mais influentes do mundo, realizada pela revista PLOS Biology/Elsevier, que nos últimos anos contou com a presença de docentes do CIn. Diversas instituições de renome já receberam como visitantes professores do Centro, como a Stanford UniversityCarnegie Mellon University e a Saarland University. Reconhecimento obtido também através de premiações internacionais por meio de organizações como Facebook ResearchWireless and Optical Communications Conference (WOCC) e Times Higher Education. A relevância internacional do CIn é certificada também através da presença de docentes na organização de eventos mundiais de impacto, como  a International Conference on Software Testing, Verification and Validation (ICST) 2021 e a European Software Engineering Conference and Symposium on the Foundations of Software Engineering (ESEC/FSE), um dos mais importantes eventos na área de Engenharia de Software do mundo, inédito na América do Sul, que tem previsão para ocorrer em 2024.

Para o professor Ricardo Prudêncio, coordenador da Pós-Graduação do CIn-UFPE, a formação de profissionais e pesquisadores qualificados contribui para o aquecimento do mercado de tecnologia. “O número é um grande marco não apenas para o Programa, para o Centro ou para a UFPE, mas para o desenvolvimento de toda a área de Ciência da Computação no país. Estamos falando de alunos formados que integram os quadros docentes de uma centena de instituições de ensino nas cinco regiões do país. Além da formação para a academia, o impacto do Programa no setor produtivo deve ser bastante enfatizado, considerando que empresas formadas por ex-alunos geram a cada ano milhões de faturamento e milhares de empregos. E ainda temos muito a contribuir”, argumenta o docente.

O CIn é destaque também como ambiente de desenvolvimento do ecossistema de tecnologia do estado através da criação do CESAR, primeiramente, como também do Porto Digital. O incentivo ao empreendedorismo para empresas de base tecnológica começou ña academia através do incentivo de projetos  do Governo Federal e, posteriomente,  com a criação da incubadora de empresas do CIn, Recife Beat.  A consolidação de mais um segmento econômico de Pernambuco se deu com essas duas grandes iniciativas que foram originadas no centro.

EGRESSOS DE SUCESSO

Com os avanços tecnológicos que se aceleram a cada dia, o CIn sempre esteve na vanguarda desse movimento, antecipando-se às principais transformações e tendências que vão direcionar a comunidade científica e o mercado. Por isso, o corpo discente é estimulado constantemente a pensar soluções criativas e inovadoras, de modo a explorar ao máximo suas potencialidades. Os frutos desse incentivo são, por exemplo, diversas empresas de tecnologia de sucesso criadas por mestrandos ou egressos do Programa. É o caso da Tempest Security Intelligence que hoje é a maior empresa brasileira especializada em cibersegurança e prevenção a fraudes digitais. Com um faturamento anual que ultrapassa os R$ 100 milhões e escritórios em Recife, São Paulo e Londres, a Tempest tem como sócio-fundador e atual presidente do Conselho de Administração Evandro Curvelo Hora, mestre em Ciência da Computação pelo CIn. 

Outro exemplo é a Neurotech, empresa também incubada no CESAR em 2000, tendo como um de seus sócios Domingos Sávio Monteiro, na época mestrando do CIn. O primeiro contrato da startup foi fechado a partir de um estudo de caso realizado por Domingos em sua dissertação. Atualmente, a Neurotech conta com cerca de 200 funcionários e fatura R$ 50 milhões por ano. Mais recentemente, passou a integrar esse rol a Acqio, fintech com foco em soluções de pagamento para o varejo, fundada em 2014 pelos egressos do mestrado do CIn Igor Gatis e Gustavo Danzi. No momento, a Acqio está entre as dez maiores empresas do Porto Digital, em termos de faturamento, e teve uma receita bruta de mais de R$ 150 milhões em 2020, além de um aporte de R$ 50 milhões da XP Asset Managements.

Além do mercado de tecnologia e inovação, os egressos de CIn possuem ainda uma relevante inserção na pesquisa científica a nível local, nacional e internacional. São profissionais que atuam como pesquisadores e professores de instituições de referência, como a University College London, University of Birmingham, Aachen University, University of Bristol, Eindhoven University of TechnologyUniversidade da Beira Interior, Université du Quebec, Université d’Orléans, dentre outras. Dissertações e artigos de mestrandos do CIn já foram premiados em inúmeros fóruns e congressos nacionais e internacionais, como o Simpósio Brasileiro de Qualidade de Software (SBQS), o Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE), o Latin American Research Awards (LARA), o Brazilian Conference on Intelligent Systems (BRACIS), o Encontro Nacional de Inteligência Artificial e Computacional (ENIAC), o International Conference on Systems, Man, and Cybernetics (IEEE SMC), entre outros.

LINHA DO TEMPO

Prestes a completar 48 anos de história, o Centro de Informática tem sua caminhada marcada pela busca constante da excelência com relevância. Em 1974, um ano após a chegada da professora Sonia Sette do seu doutorado na Université Montpellier 2, deu-se início na UFPE ao Programa de Pós-Graduação em Informática (que teria seu nome alterado, posteriormente, para Ciência da Computação, por sugestão da CAPES), com a abertura do mestrado acadêmico. Em razão de ser a primeira docente a ter esse nível de formação no período, Sonia viria a ser coordenadora do Programa. A primeira dissertação, de autoria de Paulo Roberto Freire Cunha, atual professor do CIn, teve como título “Analisador Léxico e Rotinas de Tratamento da Linguagem ALGOL no IBM-1130” e foi defendida no dia 21 de janeiro de 1977. A pesquisa foi orientada pelo então professor Múcio Gomes, que compôs a banca de avaliação ao lado da professora Sonia Sette e do professor Marco Moura.

A chegada à milésima defesa se deu cerca de três décadas depois, no dia 14 de abril de 2011, com a pesquisa “Análise de Abordagens Computacionais na Interação SNP-SNP e Aumento do Risco a Doenças” realizada por Flávia Roberta Barbosa de Araújo, sob orientação da professora Katia Silva Guimarães. Um terço desse tempo foi o necessário para duplicar essa marca, chegando às 2 mil dissertações concluídas atualmente. O crescimento revela um programa acadêmico consolidado, que figura entre os mais importantes do país e do mundo, crescendo forte na formação de pesquisadores qualificados que fazem a diferença na ciência e no mercado de trabalho.

“Esse marco me deixa bastante orgulhoso de todas as pessoas que têm feito a comunidade CIn ao longo dos anos. A dedicação de cada mestre e orientador associado a essas 2.000 dissertações coloca o CIn entre os programas de pós-graduação de maior impacto em formação de pessoas na América Latina. As consequências desse impacto são claramente refletidas na criação e consolidação do Porto Digital, e na formação de vários outros programas da região”, destaca o diretor do CIn-UFPE, professor Paulo Borba.

Para celebrar este marco histórico de 2 mil defesas de dissertações no mestrado acadêmico, o CIn preparou está programando um evento virtual comemorativo no dia 23 de  março  para celebrar mais essa conquista acadêmica. 

Comentários desativados