Com foco inicial no enfrentamento da pandemia de covid-19, o Centro tem gerado soluções e  impactos positivos em diversos setores da saúde

O CISDi (Centro de Inovação para Saúde Digital) foi implantado em outubro de 2021 no Centro de Informática (CIn) da UFPE, em colaboração com Ministério Público Federal (MPF) e o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). O centro, coordenado pelos professores Hansenclever Bassani e Sérgio Soares, utiliza a capacidade de pesquisa e desenvolvimento de soluções em ciência de dados e tecnologias da informação e comunicação do CIn-UFPE para aplicações nos campos da saúde global, saúde digital e emergências em saúde pública. 

As atividades do CISDi na temática de ciência, tecnologia e inovação aplicada às emergências em saúde pública estão inseridas no acordo de cooperação técnica que envolve o Gabinete Integrado de Acompanhamento à Covid-19 (GIAC) do MPF, o CNMP e o Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD). São mais de 20 pesquisadores envolvidos em projetos associados, que contribuem com conhecimentos de diversas áreas da Computação. Ao todo, já foram finalizados oito projetos e, atualmente, mais oito estão em andamento. Entre eles está o Centro de Excelência em Saúde & Bem-Estar e Inteligência Artificial (SABIÁ), lançado no dia primeiro de abril em parceria com a Samsung. 

Outros parceiros do Centro de Inovação para Saúde Digital são, por exemplo, o Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami (Lika-UFPE), o Instituto para Redução de Riscos e Desastres de Pernambuco (IRRD-UFRPE), o Instituto Federal De Pernambuco (IFPE), o Centro Regional de Ciências Nucleares do Nordeste (CRCN/NE), Instituto Federal do Sertão-Ouricuri, o Cesar School, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS).

As soluções desenvolvidas nessa rede contribuem para digitalização da saúde através de software, plataformas, conectividade e sensores utilizados em dispositivos médicos, aplicativos móveis, telemedicina, dispositivos visíveis e até na tomada de decisões com informações e análise de dados. Seus impactos positivos podem ser vistos na ampliação e universalização do acesso à saúde, no aumento da eficiência e da qualidade dos serviços prestados à população, na redução dos custos, na geração e cruzamento de dados para análises de questões e definições de políticas públicas, além do monitoramento de eventos como epidemias e pandemias.

Comentários desativados